Por que eles não morrem?

Soube que vai rolar um concurso literário na faculdade e resolvi inscrever uns textos. Mas li um tópico do regulamento e fiquei na dúvida.



Disquete? DISQUETE? Tem que ser em disquete? Fui procurar o pessoal do protocolo para tirar a dúvida. Tem que ser disquete mesmo? Não serve CD? DVD?
A mocinha que me atendeu ficou na dúvida e foi perguntar para outra pessoa. Quando ela voltou, reforçou o que dizia o regulamento. Não, é disquete, lá diz disquete e ponto, não fala nada de CD.
Então tá. Vou lá na papelaria comprar uns disquetes horrorosos e já volto. Por que esses miseráveis não morrem?
CD, DVD, pendrives 1 GB
postado gprs / edge

Posts relacionados

Salvar/Compartilhar

31 Comentários

  • Em 2007.08.10 14:42, Andre Garça disse:

    Bia… voce ainda tem sorte! Porque seu eu for comprar um disquete a pergunta é: Eu enfio eles aonde?!
    Aqui só tem card reader e leitor de cd/dvd… hehehehehhe
    bjs

    • Em 2007.08.10 14:48, Jonny disse:

      http://www.jonnyken.com/infoblog/2007/07/11/10-coisas-que-mais-odeio-na-hora-de-arrumar-hardware/
      Na minha lista de coisas que eu mais odeio em computadores, disquete está em 6o lugar!!! re re re
      As vezes é mais rápido baixar pela internet do que gravar em disquete!

      • Em 2007.08.10 14:53, Alfred disse:

        Infelizmente os disquetes ainda vão sobreviver por um bom tempo.

        • Em 2007.08.10 14:54, Daniel disse:

          Disquete tudo bem, mas para que três cópias impressas?

          • Em 2007.08.10 14:56, André disse:

            Se eu precisar de disquete tenho que procurar uma lanhouse que tenha.

            • Em 2007.08.10 15:15, Eduardo Marques disse:

              Dependendo do tamanho do arquivo, não vai caber no disquete! :-P

              • Em 2007.08.10 15:42, Tonobohn disse:

                Disquetes já morrera, mas as pessoas insistem em ressucitá-lo, assim como fazem com o Renato Russo e o Raulzito :-P
                Abraço

                • Em 2007.08.10 16:17, Miguel Akira disse:

                  Não dá pra saber o que é mais incrível – a sobrevivência do disquete ou a predisposição ao masoquismo que o povo tem ao querer usá-lo.
                  Mas algo que me irrita mais nesse caso é a obrigação de o texto ser escrito no Word – que faz parte do pacote Microsoft Office e, portanto, custa algunas centenas de reais.
                  Claro que ele é o padrão absoluto na maioria dos computadores e seria estupidez EXIGIR o OpenOffice, por exemplo, porque aí milhares de pessoas teriam que correr pra arranjar o produto que provavelmente desconhecem.
                  Mas deveria haver uma ALTERNATIVA! Tanto do processador de texto quanto da fonte (que é TrueType e, portanto, também da Microsoft).
                  Exigir o Word no Brasil é praticamente incentivar a pirataria. Ou dar preferência à uma empresa, coisa que as faculdades jamais deveriam fazer. Aqui em Londrina acontece a mesma coisa.

                  • Em 2007.08.10 16:19, Luis disse:

                    O maior absurdo é que pesquisei na Internet. UnicenP é o Centro Universitário Positivo, do grupo Positivo, hoje um dos maiores fabricante de computadores e notebooks do mercado nacional. Naturalmente nenhum dos notebooks Positivo possui drive de disquete. Ou seja, um aluno da UnicenP, do grupo Positivo, cujo unico computador seja um notebook do grupo Positivo, está em maus lençóis para participar do concurso.
                    Mais um exemplo da vergonha que é a educação superior particular nacional.

                    • Em 2007.08.10 17:05, Miguel Akira disse:

                      Creio que não é por ser particular que isso acontece, uma vez que aqui na UEL, que é pública, isso também acontece.
                      É pura burocracia incoerente e sem bom-senso, coisa que se alastra por todos os lugares do Brasil.

                      • Em 2007.08.10 17:07, erico disse:

                        acho que isso é resultado de sucessivas desatualizações, da universidade(lembrem-se que é caro manter-se atualizado), dos criadores do concurso (ainda falam em gênero literário)…
                        desatualizadas elas ficam pouco flexiveis às mudanças e ao novo, que sempre vem.

                        • Em 2007.08.10 17:11, mitcha disse:

                          eu acho um absurdo quando alguem chega aqui na empresa com DISQUETE!
                          É o fim da picada!
                          Nao adianta… to elimando todos esses drives malditos daqui …
                          No meu de casa e do trabalho ja nem existe há mt tempo!!!

                          • Em 2007.08.10 17:31, Leandro Pereira de Lima e Silva disse:

                            No meu desktop e no meu laptop não existe drive de disquete O_o. Agora… pra que cd? Não pode submeter via Internet? :P

                            • Em 2007.08.10 18:09, EDUARDO disse:

                              A Apple aboliu disquetes no primeiro iMac em 1998 (há 9 anos)!!!!!!!!!!!!!!!

                              • Em 2007.08.10 19:31, kaka disse:

                                Bem vinda de volta a era primitiva Bia rsrsrsrs.
                                Sinceramente nao sei o que eu faria ja que nao possuo um drive de disquete 1.44 no meu notebook.
                                Sobre a afirmacao do Luiz acima, nao tenho certeza se o UNICENP tem realmente alguma coisa a ver com a fabricante POSITIVO. Talves eu tenha falhado na pesquisa mas nao achei nenhuma ligacao.

                                • Em 2007.08.10 19:33, Caio César disse:

                                  Eu ainda uso disquetes, mas sei que é incômodo, nos dias de hoje, para a maioria das pessoas, usar disquetes.
                                  Mas o pior aí é… eu não uso Windows, eu não uso Word e… eu não tenho a fonte Arial. A fonte Arial é da Microsoft. E se eu não uso coisas dela (geralmente não por culpa dos produtos, mas do sistema operacional onde eles rodam)??? Isso é bem pior. O formato deveria ser mais aberto, ao menos um RTF :-P…
                                  Aqui quando eu preciso jogar um arquivo do notebook para disquete, eu faço pela rede, já que todos os meus outros micros (3), inclusive meu Macintosh (PowerMac 9600/300), têm drive de disquete.

                                  • Em 2007.08.10 20:35, Irvin disse:

                                    Normal isso ai, vivemos em um país de contrastes, muita gente ainda usa disquette no brasil, aqui vai demorar ainda pra abolir o disquete so quando a internet realmente ficar popular!

                                    • Em 2007.08.10 21:07, Ed disse:

                                      Mais uma da série: “A volta dos que não foram”
                                      o_o

                                      • Em 2007.08.10 22:01, Marcia disse:

                                        Tb uso pouco disquete, MAS…
                                        Eles são fundamentais pra minha mãe, já que a máquina de bordar que ela usa pra trabalhar só funciona com eles. Sim, existem máquinas industriais com leitores de cartão, mas são mais caros ainda.

                                        • Em 2007.08.10 23:23, Tango disse:

                                          Eu dei cinco tiros no disquete 23 do Borland C++ Builder 4.0 (justamente o que deu pau quando eu estava instalando no Windows 3.11 em mil novecentos e vovó surfava), mas ele ainda se levantou e caminhou em minha direção, murmurando “braaaaaains”…

                                          • Em 2007.08.10 23:33, lexreis disse:

                                            Leitor de cartões é o que há de melhor!
                                            MORTE AS DISQUETES!!!

                                            • Em 2007.08.11 01:12, Mary disse:

                                              Fiquei ainda mais curiosa com a parte que diz que não será admitido plágio de forma alguma… Bem, se é para entregar em disquete é porque eles não devem ter acesso a Internet… e desta forma devem desconhecer o jeito mais prático de copiar textos (CTRL + C CTRL + V) e também não devem saber como localizar textos na Web… Bem, como vão saber de onde as pessoas poderiam copiar os textos? :)

                                              • Em 2007.08.11 02:08, Josluza disse:

                                                Bem, e eu fui perceber agora que o meu pc tem disquete….risos….

                                                • Em 2007.08.11 13:16, Rodrigo Bertoli disse:

                                                  Não acredito que querem ressucitar o protocolo DPC/DPL num concurso desse… caramba com tanta tecnologia, internet, redes sem fio, pendrives com vários GB de armazenamento e querem voltar pra era do silício lascado. Sem comentários
                                                  DPC/DPL = disquete pra cá/disquete pra lá

                                                  • Em 2007.08.11 13:47, disse:

                                                    Hehe, as teses aqui na UFRJ são entregues em CD. Mas ainda não nos livramos das cópias para arquivo. Sem contar as dos membros da banca avaliadora.
                                                    Eu estou no time dos que não tem mais drive de disquete no computador. Pra não dizer que não uso, no laboratório onde trabalho o computador da leitora de ELISA e do Citofluor usa disquete… Sem contar que está com Windows 98 instalado. ¬¬

                                                    • Em 2007.08.11 21:06, Bia Kunze disse:

                                                      Para algumas dúvidas de vocês eu tenho as respostas:
                                                      - A exigência de arquivos no formato Word é porque tem professores que simplesmente desconhecem outras suítes de escritório. Eu uso OpenOffice há séculos, e tem professor que fica de queixo caído ao me ver usando. Esse pessoal da área de literatura ou letras em geral não é muito antenado nisso… Leiam o post “A Ditadura do Word”:
                                                      http://www.odontopalm.com.br/gsf/arquivo/2006/05/a_ditadura_do_w.html
                                                      - Eu não xingaria os disquetes se eles ao menos me dessem a OPÇÃO de usar CD também.
                                                      - Não acho que exigir esse formato seja incentivar a pirataria, já que os laboratórios de informática estão disponíveis a todos os alunos, com máquinas e recursos de sobra. Nisso o Unicenp capricha. E o OpenOffice salva em formato .doc também :)
                                                      - Unicenp e Positivo Informática são empresas do mesmo grupo – ainda tem a Posigraf (gráfica e editora) e o desenvolvimento de softwares educacionais. O dono de tudo isso é a mesma pessoa.
                                                      - A faculdade incentiva o uso de pendrives. Tem uma papelaria lá dentro do campus que os vende, também. Além dos disquetes e CDs, ehehe. Manter os leitores de disquetes é uma questão de compatibilidade.
                                                      - O envio dos trabalhos do concurso pela internet não é permitido porque identificaria o autor. A comissão que avaliará os trabalhos não pode ter acesso ao nome do autor. Esse é o motivo também das “três cópias impressas” requeridas.
                                                      - Quase me esqueci do Frank! Ele tem leitor de disquetes. Viva! :D

                                                      • Em 2007.08.13 10:43, Enio Luiz Vedovello disse:

                                                        Meu PC ainda tem uma unidade de disquete, apenas porque eventualmente eu recebo arquivos nesta mídia, para trabalhar. Da minha parte, não sai nenhum. Acho um absurdo pagar R$1,30 por um disquete de 1,44Mb se posso pagar R$0,80 por um CD de 600Mb.
                                                        Quanto à exigência do formato word, eu concordo que poderia ser encarada como um incentivo à pirataria (e na maior parte dos caso já é uma cópia pirata). Mas a gente pode usar o OpenOffice e manter a consciência tranquila, afinal ele consegue gravar muito bem em diversos formatos, inclusive os do word. É o que eu normalmente faço.

                                                        • Em 2007.08.13 12:21, Eric Souza disse:

                                                          Eu também tenho unidade de disquetece por aqui, mas também NUNCA gostei desses malditos. Vivem dando defeito e parando de funcionar.

                                                          • Em 2007.08.13 15:21, João Carlos disse:

                                                            Boa Tarde, já todos estão com esta polemica de .doc ou .rtf e ponto etc, pq não enviar os arquivos em PDF, e com apenas definir o tamanho das fontes, acho que pode atender a maioria.

                                                            • Em 2007.08.29 14:39, Aninha Portela disse:

                                                              Que atraso ..disquete ?? nao tenho mais nenhum aqui em casa …Cd é muito melhor mais pratico mais acessível

                                                              • Em 2007.10.14 01:11, Miguel disse:

                                                                Mas disquete não é necessariamente aquele disquinho porqueira de 1.44Mb. O nome é diminutivo de disc e qualquer “disquinho” é disquete. Na dúvida (deles) brigue pela língua… e se acharem que o disquete laser de 700Mb é grande demais, mande um daqueles miniatura… esse sim, é disquete. Duvido que alguém vá usar esse argumento contra você. É absurdo demais…
                                                                Hoje em dia ninguém é obrigado a usar equipamento obsoleto. Esse regulamento foi escrito há dez anos e ninguém revisou? Que lástima! Agora, acho que a culpa desse problema todo foi sua. Eu aprendi cedo a nunca perguntar a quem sabe menos que eu sobre certo assunto.Eles sempre vão optar pela resposta negativa. É a mais fácil… resume-se a fazer o binário e pronto.

                                                                Desenvolvido por Agência WX