Uma opinião diferente sobre o iPad

Screen shot 2010-01-27 at 18.13.01

Conforme falei no Twitter ontem, eu ia postar minhas impressões sobre o Apple iPad à noite, após acompanhar uma ou outra cobertura pela web, meio que aos tropeços, trabalhando e fazendo outras coisas junto. Por causa das informações fragmentadas, não formei uma opinião final, decidindo assistir ao keynote completo antes de escrever qualquer coisa no blog. Pois bem, feito isso, podemos discorrer agora sobre a novidade.

Acho que nenhum gagdet jamais foi alvo de tanto tititi, antes mesmo de se confirmar sua existência, como o iPad. Nem para os padrões Apple de rumorosfera. Procuro fugir ao máximo de especulações, simplesmente porque odeio perder tempo e desperdiçar energia em algo que não existe oficialmente. Bom, é praticamente impossível passar batido por eles, e confesso que tudo o que via ou ouvia sobre o dito me parecia tolo.

Acho que foi isso que atiçou a ira de blogueiros, macmaníacos, entendidos e pitaqueiros em geral. Já falei isso: cada novo lançamento de Steve Jobs tem o dever moral de mudar o mundo. Aí, tio Istive mostra no palco seu iPod touch gigante… e todo reles blogueiro se transforma em doutor em engenharia, dizendo como deveria ter sido feito. Parecem os 200 milhões de técnicos de futebol que temos no Brasil, não? ;)

É tablet ou netbook?

No início do keynote foi deixado claro que o projeto do iPad buscava responder duas dúvidas: haveria uma lacuna de mercado para um dispositivo intermediário entre laptop e smartphone? Segundo, esse intermediário poderia desempenhar de forma mais eficiente certas tarefas do laptop e do smartphone?

Os netbooks, indiscutíveis sucessos de mercado, foram desprezados pelo CEO da Apple – e não pela primeira vez. Dizendo que netbooks não são melhores em nada, tio Istive esqueceu-se dos milhões de usuários móveis que acreditam que, só com um browser na mão, fazem qualquer coisa, sem gastar os tubos ou temer pela segurança carregando por aí um gadget caríssimo.

O iPad não é um netbook, evidentemente, mas fica difícil eu chamá-lo de tablet. Afinal, o grande objetivo dos tablets sempre foi trazer uma relação mais humana entre homem e computador, simulando a interface que há, sei lá, 2 mil anos, mais nos parece natural ao manusear informações: o lápis e o papel. O iPad enterra essa idéia, o que sem dúvida nos faz concluir que temos uma nova categoria de produto no mercado.

Screen shot 2010-01-27 at 18.12.42

Polêmica: quem é o público-alvo?

Fiquei muito empolgada nos dias de pré-anúncio do iPad, graças a uma entrevista que o Wall Street Journal fez com Steve Jobs. É sabido que temos um grande mercado a ser explorado no que se refere à dispositivos móveis com ferramentas educacionais e acadêmicas. Quando o chefão da Apple deixou a entender que sacudiria o mercado editorial como fez com o audiovisual, tive a certeza que algo grande viria. Não exatamente um grande hardware, mas um grande modelo de negócios. Isso explica a decisão da Amazon de abrir o SDK do Kindle para desenvolvedores na semana anterior. Mas o assunto eBooks explorarei aqui no blog amanhã, na continuação deste post.

Pelo iPad em si, qual seu público-alvo? Eu, pelo menos, sei que não sou. Não como usuária de desktop e smartphone, mas como usuária de Macbook e iPhone. Não tenho nenhuma lacuna de necessidade em termos de ferramenta, apenas sinto falta de mais versatilidade no iPhone. E, no que o iPhone deixa em aberto para mim, não é o iPad quem irá suprir. Infelizmente não me arrisco a especular mais em cima do iPhone OS, já que, no keynote de ontem, não foi dita uma vírgula sobre versões vindouras. Exceto talvez o wallpaper bonitinho do 3.2. Desenvolvedores já possuem a documentação do novo SDK, veremos o que eles podem nos dizer.

Mas é agora que vou discordar veementemente de toda a blogosfera incendiária que está detonando o o iPad. Sinto desapontá-los, mas o iPad é um excelente produto, e vai vender bastante. Enxergo nele um imenso potencial para a inclusão digital em idosos e pessoas com dificuldades em entender computadores. Durante todo o keynote, imaginei meu pai usando o iPad. E ao término da apresentação, decidi que compraria um tão logo saísse, para presenteá-lo.

Na minha família todos usam computadores no dia-a-dia — os graus de desenvoltura variam — mas todo mundo paga suas contas, se informa e se comunica pela web. Exceto meu pai. Quando o primeiro PC entrou em casa, ele optou por manter distância. E de fato, os faniquitos que minha mãe e meu irmão davam ao usar Windows 95 e 98, só o assustaram. Ele resolveu que PCs davam muito problema e demoravam demais a executar tarefas simples, preferindo ser fiel à sua Olivetti.

O tempo passou, eu e meu irmão não moramos mais com ele, e minha mãe foi abduzida ao mundo Mac (com algumas ressalvas) através de seu genro. Mas meu pai continuou um excluído. Nos últimos 2 anos, venho quebrando a cabeça tentando descobrir um jeito de trazê-lo ao mundo digital de forma indolor. Ele mesmo se deu conta disso, ao constatar que seus amigos não trocam mais cartas nem importam jornais e revistas dos EUA. Meu pai é culto, fala 3 línguas; a maior parte do que lê está em inglês ou alemão. E o que o vem deprimindo recentemente são suas dezenas de contatos no exterior, com quem vem perdendo contato por não aderir ao email. Bem, criamos uma conta para ele, mas não há mais ninguém por perto para ficar abrindo e imprimindo seu correio eletrônico…

PCs Windows nem pensar, é um sistema alienígena. Netbooks também não – meu pai jamais conseguiria ler ou digitar algo nele. Pensei em um laptop de tela bem grande e teclado ergonômico, mas Macs são caros demais considerando que ele só usará navegador e email. E Linux, quem dará suporte a ele? O iPad era exatamente o que eu desejava: um dispositivo de tamanho intermediário. Com OS móvel, muito simplificado, é de uso básico e não tem um visual assustador.

Espero sinceramente ter encontrado o dispositivo perfeito para idosos e crianças entrarem de forma mais natural no mundo da tecnologia móvel. O iPad não é um intermediário. É o primeiro. Acho que quando o iPad chegar às lojas, os nerds baixarão suas foices e entenderão o potencial verdadeiro.

Salvar/Compartilhar

129 Comentários

  • Em 2010.01.30 08:55, Marcelo disse:

    Concordo em gênero, número e grau.

    Além de tudo o que vc disse, tb acho que o iPhone é apenas um aparelhinho pra vc mostrar status. Nada mais.

    • Em 2010.01.30 10:37, Leo Augusto disse:

      Foi o melhor texto que li sobre o iPad.

      Não sei como as pessoas podem decretar que o iPad é o pior ou é o melhor gadget da história, pois simplesmente ele ainda não ‘existe’ no dia-a-dia.
      Certamente, ele é diferente, vai ter seu nicho no mercado e vai ter mil posibilidades de uso. Temos que aguardar!

      Também, estou empelhado em trazer minha vó para o mundo digital. Assim como seu pai, minha vó e uma pessoal culta e ativa. Mas, vem perdendo a conexão com o mundo, não gosta mais dos programas da TV, já sente dificuldades de ler um jornal e/ou um livro – embora NUNCA vai admitir isso – e sai pouco de casa.
      Acho que o iPad, séria um gadget cômodo, amigável e fácil dela lidar.

      Reclamam do gadget por não ter uma câmera, pergunto: como poderia ter?
      Reclamam de não ter usb, pergunto: vai fazer falta? a tendência não é colocar tudo nas nuvens?
      Reclamam de não ser multitarefa, pergunto: será que, realmente, temos que fazer tudo ao mesmo tempo?

      Bom, seu artigo foi objetivo, sem ‘paixão’e, ao mesmo tempo, sensível.
      ótimo!
      : )

      • Em 2010.02.03 19:36, Leo disse:

        Leo, eu sou dos que reclamou da falta de câmera. Mas não de uma câmera para tirar fotos (até porque, o tamanho do iPad não é para isso) mas sim para videoconferência. Concorda comigo que uma camerazinha frontal cairia muito bem?

        Sobre USB, é uma questão de padronização. Não vejo porquê, do ponto de vista técnico, eu ter que usar um adaptador para conectar um teclado externo, um pendrive ou um fone de ouvido. Pensando como consumidor, me sinto desconfortável com uma empresa que quer me “prender” a ela através de soluções proprietárias quando e onde há uma profusão de padrões disponíveis.

        E, pessoalmente, a falta de multitarefa é o suficiente para eu desistir de comprar um produto desse tipo.

        Abraços,

        Leo

      • Em 2010.01.30 11:17, Afreitas disse:
        • Em 2010.01.30 14:43, Anderson disse:

          Deixou a desejar esse IPad!

          Assim como fizeram com o primeiro IPhone, demoram muito para aperfeiçoar questões simples e possíveis, como a questão do MMS, de uma câmera ao menos razoável, etc… E tudo isso só acabaram implantando na 3ª geração do IPhone. Isso dá respaldo a indignação do público sobre o IPad.

          A questão é, porque essa demora se já pode fazer de primeira???

          Sou mais esse aqui: http://gizmodo.com/5442200/hps-windows-7-slate-device-revealed-by-steve-ballmer

          • Em 2010.01.30 21:03, CodeOne disse:

            Excelente análise! O iPad vai vender horrores porque seu pai conseguirá usá-lo. Palmas.

            • Em 2010.01.30 23:22, Aknaton disse:

              Boa noite!
              Rápido e rasteiro,realmente aprendi algo agora!
              Temos primeiro se amores por marcas e etc…
              Entender a que e a quem se destina o produto,
              e não ficar fazendo comparações com esse ou
              aquele! Muito boa tua visão Bia e responsável!
              Nota 10!

              • Em 2010.01.31 03:37, Ricardo Icaro disse:

                Bia parabens pelo seu post, mostrou um angulo de visão que poucos enxergam. Porém não querendo ser pessimista, mas o grande criador de dor de cabeça para muitos não será o iPad. Será o iTunes. Até agora todo mundo tem reclamado do iPad por varios pontos, e não vi ninguem falando sobre isso. Se utilizarem só para e-mails e internet provavelmente vai ser o aparelho perfeito (ou quase, por conta do teclado virtual não muito otimizado para esse formato, por enquanto) mas ao conectar no Mac/Pc terminará com esse mundo de facilidades. Não sei se vc concorda, mas o iTunes é pesado, trava muito e não é muito intuitivo, mesmo para hard users.

                • Em 2010.02.03 19:27, Leo disse:

                  Cara, já falei isso aqui no blog da Bia mas não resisti a comentar de novo: O iTunes é pior software que já usei na minha vida.

                • Em 2010.01.31 15:15, A onda iPad | Luis Nassif disse:
                  • Em 2010.01.31 21:24, Afreitas disse:

                    Conversor de e-books: http://calibre-ebook.com

                    • Em 2010.02.01 09:57, disse:

                      Sem dúvida é um equipamento fantástico. No meu ver é uma tendência da tecnologia caminhar para a praticidade, comodidade e facilidade.

                      • Em 2010.02.01 21:59, Emmanuel disse:

                        Sobre Tablet e congêneres…
                        Ao comprar um Palm Tx eu tinha em mente um uso alternativo ao desktop e ao notebook: acessar a internet, ler e-books e pdf com a leveza que o citado dispositivo me oferecia. É claro que havia algumas restrições ao navegar pela web, contudo, no geral, a navegador nativo dava conta do recado muito bem, proporcionando textos facilmente ligíveis. Daí, apareceu o tablet da Nokia, N810, comprei-o. Frustei-me, apesar de moderno (se comparado com o Palm Tx) o N810 não atendeu às minhas necessidades de leitura, tudo fica (ao meu gosto) pequeno.
                        Então, fiquei imaginando por algo que fosse um pouco melhor que e-readers: um pouco maior, com acesso à internet via wi-fi, enfim, um Palm Tx melhorado.
                        Daí apareceu, depois de algumas propostas, o Ipad: um sonho a se realizar? É o que parece.
                        Cada pessoa possui interesses e, por isso, deveria ser sensata ao fazer comparações. Há quem reclame do tamanho: “não cabe no bolso”.
                        O iPad não é um pocket pc. Se quer um, que compre um Zire, Palm top ou smartfone.
                        Outros reclamam que “não servem para o trabalho como um notebook”. Então que continue com o seu notebook. Por isso, não acho justo reclamarem do tamanho. É como roupa, cada um que procure ajustar ao seu biotipo…
                        Salvo as deficiências no projeto do iPad, a proposta de ser um dispositivo na escala, nem grande demais e nem pequeno demais, é algo que faz do iPad (e os futoros clones) algo promissor.

                        • Em 2010.02.01 23:28, alexandre disse:

                          O Jobs copiou a ideia do Ipad desse cara: http://www.youtube.com/watch?v=gvCo6-KhZT4.
                          O vídeo foi postado em junho de 2009.

                          • Em 2010.02.02 16:12, Thiago disse:

                            O Ipad pode sim conquistar seu lugar. Steve Jobs teve uma sacada de mestre. Vai vender muito, tanto pela confiança que a Apple possui em termos de produtos, quanto pelo fato de ser grife, objeto de consumo e status. Agora se formos falar de inclusão, contaremos que será um produto caro para os brasileiros, em relação aos similares ou até a produtos que poderiam desempenhar maiores funções pelo mesmo preço. Se falarmos de tecnologia, é bom para o básico, mas deixa a desejar. A tacada de mestre será quando, após ter vendido muito a primeira versão, lançar melhorias para um Ipad2 ou similar. Vai vender mais ainda. Assim movimenta-se o mercado. Quanto a inclusão de idosos, não temos um critério para avaliar a resistência ao usar um Ipad, do mesmo modo que um Netbook ou PC. Na medida que temos um sistema operacional fácil de usar e extremamente customizado para atender aquele idoso (ou qualquer outra pessoa), não faz diferença um netbook, pc, tablet ou macbook. A resistência pode ser vencida com qualquer um desses, desde que apresentadas as possibilidades, ainda que simplificadas para o tipo de usuário. Para isso é necessário um suporte básico, uma personalização do sistema operacional às necessidades da pessoa. E felizmente hoje podemos contar com soluções muito boas, como algumas distribuições linux totalmente customizáveis. Temos praticidade e facilidade em diversas distribuições, livrando-nos das ‘algemas’ da Apple e dos bugs do Windows. No exemplo, o mesmo argumento que pode trazer seu pai para o Ipad, pode afastá-lo se por acaso ele não se adaptar a tela sensível ao toque ou se a medida que aprenda, queira ‘fazer duas coisas ao mesmo tempo’ (por que não?) Isso são escolhas pessoais, mas se o objetivo é aprender, e se eu posso aprender mais com mais possibilidades, com mais liberdade para escolher, por que não? O movimento indo do simples ao mais sofisticado. Resumindo, preferiria para meu pai, minha avó, meus idosos e meus brasileiros, um tablet/pc/netbook que pudesse ser customizável, que utilizasse o mais moderno em termos de tecnologia e livre das amarras de empresas que podem sim estar preocupadas com o usuário, mas com o intuito de lucrar infinitamente. Customizável, moderno e livre já existe: chama-se gnu/linux. Para os note/net temos “os” ubuntus, linux mint e o xandros (que você mencionou), entre outros, e para os ‘gadgets’ temos o android. Um abraço

                            • Em 2010.05.23 23:32, alexandre disse:

                              Olá Thiago,

                              Infelizmente, aqui no Brasil não existe nenhum interesse em se incluir os idosos e outros indivíduos com necessidades especiais. A falta de qualquer métrica ou parâmetro já é uma evidência.
                              E sua opinião a respeito do linux para idosos demonstra isso, pois o linux, ainda esta muito longe de ser amigável e intuitivo para quem não conhece os seus “meandros” (ex.: explique para ele os tipos de contas e as permissões de arquivo). A maioria não quer saber disso. Eles só querem ver a foto da neta, ou ler as notícias…

                              E quer queira ou não, a Apple é a atualmente a única empresa “de massa” que possui funcionalidade de “interface homem-máquina” que podem ser adaptadas para este público.

                              Caso vc tenha interesse nesse assunto, veja como a Europa e o Japão realiza a inclusão digital para este público. Um exemplo são os telefones celulares com teclados adaptados, com teclas maiores e em braile (para pessoas com problemas de coordenação motora e auditiva).
                              Citando outro exemplo, no Japão, o mp3 mais vendidos para os idosos é o “ipod shuffle”, devido a sua simplicidade de uso (que é execrado pelos “gurus de TI”).

                              A filosofia do Linux é muito válida, mas talvez a “praticidade/inclusão digital” para estas pessoas seja mais importante…

                            • Em 2010.02.03 14:28, DSaM disse:

                              Eu tenho um iphone e um itouch… depois que passei a usa-los, gosto tanto da interface amigável que sempre sonhei com um iphone de Itu… digo, ipad para substituir meus desktop e laptop….. mas o Ipad… não fez isso ainda. Falar a verdade eu esperava um macbook sem teclado… mas quem sabe daqui a 1 ano eu terei o que eu quero, disponível no mercado.

                              • Em 2010.02.03 19:25, Leo disse:

                                Diego, caso PMP signifique Portable Media Player, tenho minhas dúvidas se vai vingar, pelo menos no que diz respeito a vídeo. Eu uso um tablet PC (desses que ao girarmos a tela temos uma “prancheta”) há quase 3 anos e apenas assisti seriados em modo tablet umas 2 ou 3 vezes, nas primeiras semanas que tive acesso ao aparelho. O problema é que meio desconfortável ficar segurando o aparelho com a duas mãos durante todo o episódio (para filme, eu nem tentei). Assim, acabo sempre usando no formato notebook mesmo, seja no colo ou na mesinha do avião. É claro que essa questão de conforto é bem pessoal, mas essa tem sido minha experiência.

                                Abraços,

                                Leo

                                • Em 2010.02.04 23:29, Flávio Furlan disse:

                                  Olá Bia,

                                  Como sempre, opiniões moderadas, objetivas e bem articuladas. Parabéns! Realmente é um respiro a tanta asneira dita e escrita por aí.

                                  Quando comentamos isso em nosso podcast (PodCafé) chamamos a atenção que o produto tecnologicamente não tinha avanço nenhum. Não havia revolução nenhuma, nem mesmo no software, pois usa o iPhone OS.

                                  Mas a revolução foi no conceito, na maneira como as pessoas lidarão com a tecnologia. Isso bate com seu raciocínio, com o iPad, seu pai ganhou uma nova chance com a tecnologia. Isso é louvável.

                                  As pessoas podem discorrer em listas intermináveis de recursos tecnológicos (câmera, 3G, leitor de SD etc.), mas nenhum netbook ou notebook ou qualquer outra coisa oferecerá ao seu pai, ao meu pai, o que o iPad pode oferecer, acesso ao mundo digital e em rede de maneira a não assustar.

                                  Por isso que o título do nosso episódio sobre iPad é “Revolução do Downgrade”. A revolução não está na tecnologia em si, mas proporcionar uma experiência agradável a algumas pessoas não familiares com ela.

                                  Abraços!

                                  • Em 2010.02.06 17:41, Julio disse:

                                    Parem de dizer que o iPad é um “Kindle-killer”. Nunca será. LCD/luminoso jamais vai competir com E-ink. JAMAIS.

                                    O Kindle usa a luz ambiente (E-ink). O iPad gera sua própria luz (de fundo). Quem em sã consciência usaria um iPad para leitura? Só um louco que quer ficar cego antes dos 40 anos.

                                    É cada uma que ouço…. mas é aquela coisa: vivemos sob a liberdade de expressão. Para o bem ou para o mal, hahahahahahahaaha.

                                    • Em 2010.02.07 19:59, Rodrigo disse:

                                      Amigão, somente porque você não quer um destes torce pelo fracasso de tal equipamento? Cuidado, porque isto “está me cheirando a inveja” e, geralmente este sentimento não leva a lugar algum e quem o tem acaba recebendo de volta o que deseja, não por qualquer ordem dívinas, mas por incitar o cérebro a isto, já que alguns sentimentos são mais fortes para nossa mente que outros.
                                      Mude seu modo de pensar e sucesso!

                                      • Em 2010.02.11 15:33, Alex disse:

                                        comprei um netbook em dezembro, pensei em usá-lo nas ferias de fim de ano, acabei levando meu notebook antigo. meu acer AO250 tá encostado, novinho e sem uso; acho q eu deveria ter esperado e comprado um iPad desses. Sinceramente apesar de bonitinho não vi muita vantagem no netbook, minha história comeles se resume em: comprei, não usei e to tentando vender, rsrsrs. melhoras bia.

                                        • Em 2010.02.11 17:07, Msouza3d disse:

                                          Sim dá pra falar no Skype. Assim como dá pra falar no Skype PERFEITAMENTE no iphone. Funciona excelente vale ressaltar. Vc só não vai poder ainda fazer conferencia, mas o Ipad Aceita sim cameras externas, pela entrada de 30 pinos na sua base. Será acessório. Certamente o ipad tem saida de Fone.

                                          • Em 2010.02.11 17:09, Paulo disse:

                                            Pode morrer torcendo. Me cita algum fracassos retumbantes da Apple ? Poucos né ? Não vale dizer que iphone é limitado, pq nada que tenha 250 milhões de usuários pode ser citado como fracasso…
                                            Se não quer basta não comprar, vc não é obrigado, mas se deu raiva é pq deu vontade de ter, mas não quer dar o braço a torcer. kkk

                                            • Em 2010.02.24 13:25, Victor disse:

                                              Não entendo. Seu argumento para falar que o iPhone é bom é o mesmo que todos fãs de Windows usam. Quem diria, né?
                                              Porém, concordo contigo numa coisa. Realmente a Microsoft nunca vai lançar algo “descente”, até porque ela não faz elevadores e nem rampas…

                                            • Em 2010.02.11 17:11, Paulo disse:

                                              A Microsoft nunca vai lançar nada descente baseado em Windows. As pessoas tem que entender que windows é ruim. Isso não muda se é bonitinho ou feio. Pelo contrário, quanto mais feio menos pau e mais leve ele funciona. kkk. Enquanto a M$Soft não fizer hardware unico e software especifico PRO hardware especifico, sempre será fail.

                                              • Em 2010.02.11 17:15, msouza3d disse:

                                                Vou Repetir…Não adianta NADA NEtBook ter tela de 10Polegadas se ele roda WINDOWS. Windows não sabe onde está rodando, ele não sabe que seu Netbook tem 10 polegadas ou 30 polegadas ou se tá rodando numa plasma de 50 POlegadas. Por isso nunca vai ser a mesma experiencia de usar um sistema FEITO pra um HARDWARE especifico, como o IPad. Esqueçam isso. Vc pode aumentar fonte, e vai destruir a interface, o layout, vai passar raiva, vai ficar um lixo, confuso, com icones desengonçados e gigantes.

                                                A diferença é IPAD é soma de Hard e Software, NENHUM NETBOOK tem um windows FEITO pra NetBook. A Assus tem uma distribuição do LInux pra EeePC, mas Linux não é pra seres humanos ainda. Infelizmente.

                                                Então não existe comparação nem proxima nem LONGINGUA de Nenhum Netbook do mundo com o Ipad, pq só o fato de usar um sistema proprio já faz dele um produto COMPLETAMENTE diferente.

                                                • Em 2010.02.11 17:16, paulo disse:

                                                  Sinto cheiro de gente que acende o fogão batendo uma pedra na outra. kkk

                                                  • Em 2010.02.25 20:18, Ronaldo disse:

                                                    Sinto cheiro de fruta…será uma Ipod, um Iphone, um Ipad…Mas não é cheiro de maçã e sim de pêra.

                                                    aaahhhhh

                                                    É a paulete.

                                                    Desculpe pelo comentário ácido Bia, mas eu não consegui deixar de responder.

                                                    • Em 2010.02.26 18:42, Hugo disse:

                                                      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

                                                      Esse foi o melhor comentário do blog

                                                  • Em 2010.02.12 10:34, Vasques disse:

                                                    Com certeza ele irá gostar, tenho uma experiência com o meu iPhone e com a minha avó (Matriarca da familia) que é bem interessante. Ela adora pegar as receitas pela internet usando o iPhone e não utiliza o computador de casa ou o notebook. Enfim, Jobs sempre será um visionário. Ahhh! Também não adianta comparar com o Newton, uma coisa não tem nada haver com a outra!

                                                    • Em 2010.02.12 10:36, Vasques disse:

                                                      Oi, Bia e se ele experimentasse o Ubuntu Remix, estou testando com algumas pessoas que eram aversas a tecnologia e aparentemente está dando certo.

                                                      • Em 2010.02.18 01:09, Fábio disse:

                                                        Visionária. Ve oportunidade onde os outros vêem problemas.

                                                        • Em 2010.02.24 13:17, Victor disse:

                                                          Tinha que ver ela falando que o iPhone não era nada demais, realmente visionária hahahahah…

                                                          • Em 2010.02.24 18:54, Bia Kunze disse:

                                                            O sucesso do iPhone só se seguiu depois do OS 2.0 quando surgiu a AppStore. O primeiro iPhone não era nada mesmo, o próprio Steve Jobs entendeu que aquele conceito de “web apps” que ele inventou era furada.

                                                        • Em 2010.02.24 13:14, Victor disse:

                                                          Nossa, essa foi uma estimativa tão grossa que é difícil de ler. Se 9 em cada 10 usuários tem dificuldade, Windows dominar o mercado é um milagre.
                                                          Ah! E quero ver gente que não gosta de tecnologia mexendo numa tela touchscreen gigante. Se com o iPhone eu já canso de achar gente que tem medo de encostar no aparelho, eu imagino num iPad…

                                                          • Em 2010.02.26 15:05, Chipaz disse:

                                                            É edatamete este erro que vc cometeu, que muitos também cometem. O iPad não veio para substituir seu robusto MacPro ou super PC que usa para programar. Ele veio para preencher uma lacuna, pequena concordo, entre iPhone (ou nexus one) e um laptop. Concordo com a Bia qnd diz que entre Macbook e iPhone não há espaço, eutambem acho que não há.

                                                            Mas as vezes sinto falta da facilidade de navegação do iPhone no meu mac, tal como também sinto os recursos limitados do iPhone fora da navegação.

                                                            Então vc não tem que procurar como digitar 4h ou 2.000 linhas de código neste aparelho, vc não irá encontrar a resposta fazendo esta pergunta. Talvez seja melhor vc mudar o foco, refazer a pergunta. Navegar com ele no sofá, ler email e eventualembte digital alguns (como estou fazendo agora no iPhone) deve ser interessante, até mesmo ler livro num conteúdo adaptado ao dispositivo. Enfim ele é para entreter, navegar, ouvir musicas, editar e brincar com fotos.

                                                            Acho que setá um bom presente pois percebo nitidamente que os dispositivos hoje, mesmo que seja um simples celular, não visam os idosos que as vezes não exergam direito ou não gostam de relas escuras e pequenas. Me lembro qnd fui comprar celular Nokia para meu avô, demoramos mas encontramos um que os números ficavam enrimes e a tela tinha retroiluminação branca(logo que apareceram as telas coloridas). Mas não é fácil e se eles (idosos) não gostam excluem mesmo e acabm ficando as margens das coisas por não sr adotarem as ferramentas. Mas é por isso que a marca Lexus nos EUA vende e muito seis SUV’s pois eles fazem os pilotos de teste vestirem roupas e coletes que “engessem” seus movimentos para mostrar e eles sentirem a dificuldade que um idoso pode ter ao sair do carro ou abrir a porta quenao abre 90 graus.

                                                            • Em 2010.03.03 10:02, PAULO disse:

                                                              Gostei da opinião diferente da nossa querida Bia, porém como o próprio título já denuncia é uma visão diferente e particular do produto.
                                                              Sou um usuário ativo do iPhone, tenho aplicativos comprados, vídeos e músicas também comprados, além dos meus próprios. Tenho muitas fotos, calendário e agenda ativos e populosos.

                                                              O iPhone parece que foi feito para mim, digo na sua totalidade de recursos, e nas novas possibilidades de utilização.

                                                              Assim, tudo que tenho lido me parece visões particulares e específicas do produto, que é muito mais completo do que um simples kindle, que também possuo.

                                                              O iPhone teve o grande mérito de fidelizar os seus usuários que encontraram aplicativos bons, baratos e úteis (são poucos, mas existem), apenas para lembrar uma de suas virtudes que ainda não foram copiadas com êxito.

                                                              Estou entusiasmado como usuário e acho que o iPad será (já é) uma referência no seu nicho e é por isso que estamos aqui nesta discussão !!!

                                                              • Em 2010.03.03 10:09, PAULO disse:

                                                                Prezado Leonardo pense nos aplicativos que poderão ser desenvolvidos para este segmento. Eu já conheço algumas aplicações interessantes para a medicina

                                                                • Em 2010.03.03 11:47, PAULO disse:

                                                                  Adriano,
                                                                  Gostei muito do seu comentário. Penso exatamente como voce, cada um encontrará a melhor aplicação para este produto, que é versátil e interessante !

                                                                  • Em 2010.03.03 13:14, PAULO disse:

                                                                    Mauricio,
                                                                    Há também muito vídeos muito interessantes para os aplicativos do iLife e outros no próprio site da apple. Alguns podem ser baixados para assistir no iPhone. Assim, nem é preciso ir a uma loja da apple para aprender a utilizar os produtos da apple.
                                                                    Obs.: Tudo em inglês, infelizmente, mas é possível para quem tem conhecimentos intermediários da língua.

                                                                    • Em 2010.03.04 10:23, ricardo disse:

                                                                      vichi esse dai eu nao acho pAra comprar alguem sabe na onde tem ???°??

                                                                      • Em 2010.03.08 14:37, Bia Kunze disse:

                                                                        Ricardo, o iPad comecará a ser vendido dia 3 de abril, incialmente nos EUA.

                                                                        • Em 2010.03.11 13:22, Adriano Garage disse:

                                                                          Uso meu iPhone apenas com chip de dados com plano ilimitado da Oi… Aposentei meu netbook Dell mini 9 com leopard 10.5.6 instalado. Tudo que eu faço no netbook eu faço com maestria no iPhone… e o ainda ganhei mais portabilidade alem de inúmeros aplicativos da área medica que so estao disponíveis para iPhone /iPod… Se eu aposentei meu netbook para usar exclusivente o iPhone então vejo que o ipad vai ser a melhor opção pra mim…

                                                                          • Em 2010.03.25 20:26, Gabriel disse:

                                                                            Olá Bia, Legal seus comentários pensando nos velhinhos, mas certamente o Sr. Estives não pensou dessa forma senão ele iria à falência (vc mesmo disse que todos tem computadores nas sua casa menos seu pai… ) a 3a idade só é vista para o mercado de remédio!!!
                                                                            Sempre usei pc com o ruidows e suas versões com pelo menos 5 anos de estabilidade total. No natal fui mexer no apple top de linha do meu tio e tive dificuldade em obter informação de arquivos de fotos (Quantos megas tinha um grupo de fotos, propriedades das imagens e etc…) meu pen drive com reconhecimento digital ele não reconheceu e foi difícil por e tirar da usb do belo teclado com design único…
                                                                            Concluindo a apple é = a armani só serve para tendência! É fruta! Por enquanto vou enconomizando para comprar dentro de 1 ano um leitor de livros que dê pra ler de dia, com flash, um office básico, câmera, memória de verdade, facilidades para imprimir e etc…

                                                                            • Em 2010.04.05 08:38, O iPad já é um sucesso | Apple disse:

                                                                              [...] um simples motivo: o tablet não foi feito para eles. Logo após o anúncio, publiquei em meu blog uma opinião diferente sobre o iPad. Repercutiu bastante: os leitores expuseram sua opinião concordando ou [...]

                                                                              • Em 2010.04.05 13:34, victor igor disse:

                                                                                Já é um sucesso, mysonho de consumo, eu ñ sou nenhum cientista, progamador da computação, mas uma coisa eu dijo: EU AMO UM NEGOCINHO QUE SE CHAMA TECNOLOGIA, tudo que se trada de tecnologia eu estou lendo, para ser no futuro um blogeiro ou até mesmo ser um Cíentista da computação só tenho 13 anos ainda, mas já faço várias coisas em um pc como formatar por exemplo

                                                                                • Em 2010.04.14 13:52, Aline disse:

                                                                                  A montanha de papel que os pais compram pra seus filhos, também conhecida como “livros didáticos”, também é um absurdo de caro. E também não é multitarefa nem roda flash. A Bia não disse que esse briquedinho é a solução, mas sim a categoria de gadgets que ele inaugura.

                                                                                  • Em 2010.06.28 00:21, Kenji disse:

                                                                                    Parabéns seu post. Meu pai tb não usava computador. Sabe que como ele começou? Com o iPhone! Ele via eu usar e acabou comprando um. Apesar de pequeno, ele adorou poder ver previsão do tempo, acompanhar a bolsa de valores, etc… Ele comprou um notebook recentemente e realmente não está sendo muito fácil para ele, o iPad seria o ideal!
                                                                                    Não sei se o iPad seria muito para crianças, já que acho que quebraria. Mas para idosos e mesmo jovens e adultos que tem buscam algo com uma interface mais amigável.

                                                                                    • [...] Aldiko. E me deparei com um problema relacionado ao tamanho da tela. Confesso que eu achava o iPad grande demais, e que o Galaxy Tab, com dimensões reduzidas, seria o dispositivo perfeito para [...]

                                                                                      • 79 comentários antigos não estão sendo mostrados. Clique para exibir todos os comentários
                                                                                      Desenvolvido por Agência WX