Papel em baixa (mais: porque o Alfa, da Positivo, vai se destacar)

Há muito se fala na morte dos jornais, das revistas e dos livros em papel. Sabe-se que são processos de longo prazo, mas parece que os primeiros sinais tangíveis do ocaso do papel estão ganhando destaque. Essa semana várias notícias fazem crer que a coisa está indo mais rápido do que se podia imaginar…

O fim da versão impressa do Jornal do Brasil surpreendeu muita gente. É verdade que o jornal vem passando por sérias crises financeiras e editoriais nos últimos anos. Mas também é verdade que, com a explosão do jornalismo online, mais veículos estão em situações igualmente complicadas, numa ciranda financeira onde parece não haver saída. Mais dinheiro se injeta, mas as dívidas continuam acumulando. E não há sinal de que a média de tiragem dos jornais deva aumentar.

As “e-magazines” também estão ganhando destaque. O sucesso da Wired para iPad foi tão grande que em breve será lançado o Kit da Adobe para criação de revistas digitais.

E por fim, o surpreendente comunicado da Amazon informando que a venda de ebooks já ultrapassou a de livros capa dura. Nos números foram considerados também os livros que não tem versão Kindle. E os ebooks gratuitos foram descartados dos cálculos.

Dá para entender por que executivos do meio editorial e da imprensa escrita estão arrancando os cabelos. Eu também estaria!

Alfa: o eReader que promete

O que não tem faltado no mercado são eReaders — os leitores de conteúdo digital à base de e-ink, a tinta eletrônica que simula o papel na tela. Inclusive modelos feitos no Brasil estão chegando no mercado.

O alfaAlfa, eReader que a Positivo lançará em agosto, será diferente dos outros. Não tanto em funcionalidades, mas no método de distribuição e na parceria com livrarias. A idéia da empresa é ambiciosa: não se trata de simplesmente entrar no mercado de leitores digitais. A meta é sacudir o mercado editorial brasileiro que, convenhamos, ainda está bem caidinho.

O Alfa abriga uma tela sensível ao toque de 6″, com 16 tons de cinza. O primeiro modelo só terá conectividade pela USB, mas um modelo wifi está previsto até o final do ano. Virá com slot para cartões de memória, mas já conta com 2GB internos (dá para uns 1500 livros no formato ePub, mas ele também é compatível com arquivos PDF e txt.

Mas as especificações técnicas são um detalhe. O que me faz acreditar que ele se destacará de todos os outros é o modelo de negócios por trás.

Em primeiro lugar, estamos falando da Positivo, pioneira no uso da informática para a educação e a responsável pela popularização dos PCs no país. E é justamente escala e distribuição que farão a diferença.

Além das boas relações com os varejistas, a Positivo quer fazer decolar o segmento de livros digitais no país com o apoio de grandes livrarias e editoras. O Alfa é aberto e suportará os formatos dos ebooks já vendidos pela Saraiva e Cultura. Do lado das lojas e editoras, a força da Positivo poderá deslanchar a venda de livros eletrônicos, que ainda é irrisória. Aumentando a procura e as vendas, mais títulos ficarão disponíveis. Trata-se de um círculo vicioso: as editoras não aumentam o catálogo por causa da baixa procura. E as pessoas não compram porque a oferta de títulos ainda é minúscula!

Para o usuário comum, não interessa padrões de arquivos, formatos e outras nerdices. O que elas querem é comprar seus livros onde quiserem e usarem seu leitor. E é aí que fica o calcanhar de aquiles da Amazon e da Apple.

Vamos aguardar o lançamento oficial mês que vem e acompanhar. Mas particularmente, boto a maior fé.

Posts relacionados

Salvar/Compartilhar

46 Comments

  • […] This post was mentioned on Twitter by Bia Kunze, brunapazinato, Fernando Cruciani, Fernando Cruciani, Fernando Cruciani and others. Fernando Cruciani said: Cruioso, rss fui ler! // RT @garotasemfio: No blog: Papel em baixa (mais: porque o Alfa, da Positivo, vai se destacar) http://bit.ly/aHENv4 […]

    • Em 2010.07.22 08:30, Ricardo Ferreira de Paula disse:

      Também boto fé, gosto muito da Positivo.

      • Em 2010.07.22 08:32, disse:

        Uma questão importante para o Alfa será o preço. Se custar mais de R$ 200,00 serão poucos os que darão isso pra um aparelho que serve unicamente pra ler livros.

        • Em 2010.07.22 08:40, disse:

          Estava vendo, estimaram o preço de lançamento em algo entre R$ 600,00 e R$ 800,00. Considerando ainda o preço dos e-books por essas terras, na boa, pelo menos pra mim, no way.

          Mas eu sou um otimista (ou um burro) mesmo… Pensando em duzentos reais de preço-base.

          • Em 2010.07.25 16:04, Bia Kunze disse:

            Não sei se o preço do leitor conta tanto assim. Pelo que tenho ouvido das pessoas, o preço dos livros é que preocupa mais. Vejo gente achando um livro bom (de papel mesmo!) por R$ 50, “caro”. Mas elas gastam esse valor numa balada ou happy-hour sem pestanejar… R$ 50 em cerveja “vale mais” que um livro.

            A meu ver, a cultura do brasileiro com relação ao livro é que atrapalha…

            • Em 2010.07.29 11:37, disse:

              Exato, justo por causa dessa falta de cultura de leitura acho difícil que as pessoas comprem um aparelho exclusivamente para leitura que ainda custe caro. Ainda mais considerando que vão achar os livros caros também. Ninguém vai dar 30 ou 40 reais por um livro virtual pois o brasileiro vê o valor no formato físico.

              • Em 2010.08.10 16:04, Stella Dauer disse:

                O preço oficial é de R$699. Se não compram um Kindle por R$550, porque iriam comprar um Positivo por R$699? Não vejo razão pra esse eReader fazer sucesso aqui no Brasil.

                As editoras poderiam subsidiar uma parte dos custos, assim como operadoras “fazem” com celulares. Por mais de R$200, se não for parcelado ainda, não vai engatar nem uma venda expressiva.

        • Em 2010.07.22 08:41, Marcelo Dias disse:

          Se ele vai ter tela sensível ao toque então ele não será e-ink?
          Com isso eu não compro, se é para leitura vai ter uma lcd sensivel ao toque? Muito ruim de ler livros em lcd, acho que assim já começa errado.

          • Em 2010.07.22 10:27, 108minutos disse:

            Por que não poderia ser e-ink e touchscreen ao mesmo tempo?
            Acho que já tenham inventado algum modo de combinar essas tecnologias.
            E ainda.
            Como dá pra reparar na imagen da postagem.
            O alfa não tem teclado.
            Ou seja, o teclada será virtual.
            O que seria meio inviável, caso a tela não fosse touch.

            • Em 2010.07.23 07:48, Ricardo Smania disse:

              Marcelo,

              O E-ink touchscreen já está disponível em diversos leitores, como você pode conferir nesta lista: http://wiki.mobileread.com/wiki/E-book_Reader_Matrix

              Mas pelo que leio por aí estas telas apresentam menor contraste e maior reflexo devido à camada touchscreen, o que atrapalham um pouco a leitura.

              Agora é esperar pra ver, eu ia comprei um Kindle mas agora estou aguardando o lançamento deste modelo para ver qual vai ser mais interessante.

              Abraços,

              Ricardo

            • Em 2010.07.22 09:04, Crocodilo Dundee disse:

              Faz tempo que venho querendo usar meu ipad como leitor de revistas principalmente, e praticamente nao tem como ainda, realizar assinaturas digitais dessas midias, quem sabe agora isso se popularize e consigamos assinar nossos jornais e revistas favoritos…. Alem e claro de bons best sllers!

              • Em 2010.07.22 09:14, Kelps disse:

                Particularmente, eu estou aguardando ansiosamente por esse lançamento. Espero que não venha muito caro pois eu estou querendo comprar um e-reader com e-ink faz bastante tempo. Não me importo com a falta de wi-fi. Pra falar a verdade, até prefiro assim, principalmente se isso ajudar a baixar o preço, mas principalmente pelo fato que que eu quero poder comprar meus livros em qualquer lugar e não pretendo usar o próprio aparelho pra isso.

                Agora, só nos resta aguardar.

                Atenciosamente,
                Kelps

                • Em 2010.07.22 09:17, lucas disse:

                  Bia, já tem idéia do custo desse eReader ???

                  • Em 2010.07.22 09:27, Filipe Cardoso Lana disse:

                    Quero até ver o precinho deste Alfa com wifi da Positivo.
                    Não comprarei por mais de 500 reais, visto que o Nook wifi nos eua custa 150 dólares, e além disso tem uma mini-tela colorida e roda android.
                    Mesmo com facilidade de distribuição, e podendo ser parcelado em “hell” vezes, não vale a pena pagar acima do justo.

                    • Em 2010.07.22 09:41, Vinícius Zonaro disse:

                      Você tem toda razão o usuário comum não está preocupado com as “nerdices” que outros aparelhos apresentam, o ponto negativo do alfa na minha opinião são esses 16 tons de cinza, podia mto bem ser colorido não?

                      • Em 2010.07.22 09:45, Rafael Guerra disse:

                        A positivo é conhecida também por ter bons preços,
                        já é conhecido o preço de lançamento?

                        • Em 2010.07.22 10:02, Bia Kunze disse:

                          Segundo a Positivo, o preço sugerido será de R$ 750.

                          • Em 2010.08.10 15:34, Eduardo Davis disse:

                            Se for realmente 750 reais, considero #FAIL desde já. Sem sombra de dúvidas.

                        • Em 2010.07.22 10:01, Leonardo Bruno Lima disse:

                          Eu também, esse é o e-reader mais bonito do mercado.

                          • Em 2010.07.22 10:48, J3ff disse:

                            Acho que Não deveríamos exigir muito. Primeiro tem que popularizar e depois lançar modelos mais “Hard”. Foi o que aconteceu com os Celulares. Bem Básicos no início. Agora Todo Mundo tem e os Fabricantes Não param de Lançar Modelos para Todos os Tipos e Gostos. Isto porque o “Mercado” virou uma Mina de Ouro. Os próprios usuários compradores perdem quando “exigem” demais no início.

                            • Em 2010.07.22 11:29, lordtux disse:

                              Legal, mas no meu caso vou esperar mesmo pelo iPad, quero bem mais que um simples leitor. E tela colorida, ja basta a tv preto e branco que eu tinha.

                              • Em 2010.07.22 11:44, Eduardo Souza disse:

                                Bia, admiro o seu entusiasmo, mas acredito que o Alfa será um tremendo fracasso. O brasileiro não tem a cultura da leitura, lê muito poucos livros por ano. Você realmente acredita que as pessoas passarão a ler mais por conta do e-reader? Ou pior, pagar R$ 750, mais os preços do livros, ter que ter um computador disponível pra adicionar um novo livro, além de depender de energia para funcionar?
                                Como disseram, se custar na faixa de R$ 199, pode ser que dê certo. Pode ser.
                                Até pq desisti de comprar ebooks no Brasil, depois que vi o preço de um que eu precisava. Saia mais barato importar da amazon o livro de papel novo.

                                • Em 2010.07.22 13:41, Bacanauta disse:

                                  Já viram o vídeo de demonstração? Só clicar no meu nome.

                                  • Em 2010.07.22 16:46, Emanuel Campos disse:

                                    O povo re-inventa tanto a roda, mas a Palm poderia simplesmente pegar o PalmOS, eliminar praticamente tudo, e rodar o e-reader num aparelho bem simples, bem barato e bem bacana! 😉

                                    • Em 2010.07.26 09:20, Ricardo Bomfim disse:

                                      É verdade li muita coisa no meu Palm Vx.

                                    • Em 2010.07.22 18:33, Carlos Jefferson chase Silva dos Santos disse:

                                      Bia, eu também boto muita fé nesse ereader, e, a bem da verdade, agora sim eu me motivo a adquirir um.
                                      Não tenho grana de sobra, e não dá pra adquirir um produto que seja caro e cheio de limitações. Acredito que isso é absolutamente contrário aos requisitos de tecnologia para o usuário comum, doméstico.
                                      Sendo esse modelo de negócios funcional, eficaz, prático, e se realmente ele chegar ao mercado por esse valor, adquirirei um (só quando lançarem o wifi).
                                      Valeu pelo ótima dica. Acompanharei, junto com você, o andar dessa carruagem, que promete muito.
                                      Só pra finalizar, acredito que a POSITIVO deveria, além de inovar, popularizar e etc, se preocupar também com o atendimento pós-venda, que ainda é muito ruim. Pelo menos essa é a experiência que tive.
                                      Se eu fosse um consumidor um pouquinho mais chato, não compraria nunca mais um produto da Positivo, mas, como não sou, darei uma segunda chance para os caras.
                                      Sabemos que o produto é popular e tal, mas isso não implica necessariamente em produto de baixa qualidade e com péssimo pós venda.
                                      No situação econômica de hoje, são consumidores iguais a mim, que não consomem Macs, Kindle e tals, que estão mantendo o mercado.
                                      Basta observar os meios de comunicação, para averiguar a veracidade do que eu estou afirmando.
                                      Acorda, Positivo !
                                      Carlos Jefferson Chase Silva dos Santos
                                      http://www.chase4077.wordpress.com

                                      • Em 2010.07.22 22:40, Leonardo Porto disse:

                                        Estou sendo repetitivo como todo mundo, mas enquanto não lançarem e-readers decentes com valor girando em torno dos 200 reais, não importará o quanto é genial o modelo do negócio, o e-book não vai pegar no Brasil. Eu mesmo preferiria comprar um netbook, um bom smartphone ou 2 multifuncionais com o valor atual dos e-readers

                                        • Em 2010.07.23 14:40, scamar disse:

                                          O aumento da demanda por livros no Brasil – que hoje é ridícula – depende principalmente de investimento em educação e de estímulo das famílias ao hábito da leitura. Somos um país de analfabetos e o surgimento de e-books não ajudará a mudar esse cenário. O Alfa poderá ser interessante para aqueles que já gostam de ler, mas não criará novos leitores. Quanto ao produto em si, achei caro pelo que oferece: sem wifi e sem e-ink. Além de ser da Positivo, marca que não vejo com bons olhos. Colocado à venda na Casas Bahia por R$ 750, deve encalhar. Não compraria.

                                          • Em 2010.07.23 14:55, scamar disse:

                                            Ah, entrem em uma grande loja do varejo e perguntem a qualquer consumidor onde ele prefere investir R$ 750 – fogão ou e-book?

                                            • Em 2010.07.25 16:13, Bia Kunze disse:

                                              Fogão? Antes fosse! O eletrodoméstico mais vendido no país é a TV, que tem penetração de 97% nos domicílios desse país. Geladeiras, fogão, máquina de lavar, etc, não lembro a porcentagem, mas sei que fica bem longe…

                                              • Em 2010.07.26 10:17, Lorrene disse:

                                                Sem lembrar que eles compram uma TV de R$ 3.000,00 e dividem em 24 parcelas mensais. Não duvido que vendem o Alfa em 10 parcelas. Não foi assim que popularizou os computadores, e agora, os notebooks?

                                            • Em 2010.07.23 17:42, J3ff disse:

                                              O Jornal do Brasil encerrou sua publicação impressa. Seria um bom “gancho” para a Positivo incluir a assinatura deste jornal, online, para ler no Alfa. E mesmo assim este preço mencionado, ainda seria proibitivo para a popularização do mesmo.

                                              • Em 2010.07.23 18:53, Erlon disse:

                                                Será muito bom mesmo quando os e-readers se popularizarem e baixarem de preço para tipo uns 300 reais em média. muito útil mesmo poder levar livros daarea tecnica pro trabalho, e os livros de literatura , biblia nas suas várias versões, sem carregar peso algum.
                                                vamos aguardar.

                                                • Em 2010.07.23 21:12, Cristiano disse:

                                                  Muito legal. Não sabia que a Positivo planejava lançar um reader. Aliás, a justiça brasileira reconheceu recentemente a importação do Kindle SEM impostos! Embora seja uma sentença de um tribunal regional (não vale para todo o Brasil), já é uma luz em sede do STF. Vamos aguardar! Segue o link: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2010/07/sentenca-da-justica-reconhece-imunidade-tributaria-do-kindle.html

                                                  • Em 2010.07.23 21:23, Cristiano disse:

                                                    Ah… Só para completar o meu post acima. Essa decisão judicial poderia implicar em isenção de impostos, como o IPI (produtos industrializados) e o ICMS! O que seria bem a calhar: a redução do preço do Alfa Positivo a vista!

                                                    • Em 2010.07.24 01:46, Heitor disse:

                                                      Tomara que seja um eletrônico de qualidade, que não custe muito e que consiga dar um jeito na leitura do povo brasileiro.

                                                      • Em 2010.07.27 20:38, Daniel Coelho disse:

                                                        Sem dúvida é um brinquedo para quem lê bastante. Só fala mal da tela e-ink quem nunca viu de perto ou não tem mesmo o hábito de ler. Eu perco a noção de tempo com o Kindle.

                                                        Se o Alfa será sucesso vai depender da movimentação das lojas para oferecer conteúdo em volume e qualidade que façam valer a pena o investimento. Além disso, R$ 750 tem outros modelos e mesmo o Kindle sendo mais caro vale mais a pena. Mas não duvido que eles entrem no mercado pelo nicho de livros didáticos e apostilas.

                                                        • Em 2010.08.01 16:57, aline disse:

                                                          Tô esperando a reação da Positivo ao corte de preço do kindle pra decidir qual dos dois. Tem que ver se o preço do brasileiro vai cair, e se consigo parcelar o americano com minha operadora de cartão. Se não tiver jogo com o cartão, vai no famoso carnê em 15 prestações mesmo.

                                                          Brasileiros amam tecnologia, essa aptidão pode servir sim de incentivo à leitura. A internet não nos fez escrever muito mais?

                                                          • Em 2010.08.04 00:15, Bia Willcox disse:

                                                            Os conteúdos digitais, especialmente os livros, se utilizados em readers genuinamente populares, agregando valor a outro produto, vão mudar a cultura do país e do mundo, fazendo mais gente ler mais e bem mais barato!

                                                            • Em 2010.08.04 09:24, remo sales disse:

                                                              Eu aacho que eReaders é o futuro mais promissores do livro mesmo. Jovens que já nasceram na era digital, como a minha filha, preferem brinquedos eletônicos mesmo. Sendo assim, creio que leitores tipo Alfa, vai trazer as crianças/jovens mais perto da leitura.

                                                              • Em 2010.08.10 15:22, Bel Salles disse:

                                                                Espero que isso “popularize” a leitura de livros e revistas. Mas infelizmente o “povão” que faz questão de utilizar as boas ferramentas para hábitos péssimos, vão se aproveitar disso e ver revistas pornográficas, piratear livros acadêmicos etc.

                                                                • Em 2010.08.10 15:26, Marta disse:

                                                                  Eu também coloco fé no Alfa, espero que dê certo, eu já tenho e-reader mas gostaria de mais opção para poder comprar e-books.

                                                                  • Em 2010.08.10 16:27, Raphael Calmeto disse:

                                                                    Acabei de encomentar o meu. Ao que tudo indica, chegará amanhã.
                                                                    Também boto fé.
                                                                    Jà tive oportunidade de comprar o Kindle, e até agora não tinha me sentido seguro para comprar, mesmo sendo relativamente mais barato.

                                                                    Boto tanta fé neste e-reader, que acredito que possa ser o ponta-pé inicial para uma possível parceria com os governos. Quem sabe estamos próximos de utilizar estes equipamentos na educação pública. Não preciso nem citar os benefícios…
                                                                    Ótimo artigo, parabéns!
                                                                    Abraços e sucesso!

                                                                    • Em 2010.08.11 15:59, astrowar disse:

                                                                      Recebi o meu ontem e estou muito satisfeito. o preço é meio salgado sim, So achei meio lento para passar paginas em arquivos complexos e cheios de figuras. O sensor de orientação tambem demora para responder quando giramos.
                                                                      Senti falta de um controle de contraste. o zoom não centraliza a tela. isso é muito chato ao ler paginas com margens muito grandes.
                                                                      Ele tem uma opção para atualizar o firmware, o que é muito bom, pois mostra que a positivo pode corrigir estes pequenos detalhes.
                                                                      Ele é realmente leve e com peso bem equilibrado, a parte de trás é cheia de ranhuras que aumentam a aderencia. A resolução da tela é muito boa, não dá para ver os pixels isolados a olho nu. Acho que o kindle tambem é assim.
                                                                      O kernel já tem suporte para rede, pois no meu aparece o numero MAC, mas é zero, já que não tem dispositivo wifi instalado. A saida de fone de ouvido esta energizada, puglando nela ouvimos um estalo. isso mostra que o circuito esta operando, sõ precisa de uma atualização do software.

                                                                      Devemos nos lembrar que é um tecnologia muito nova e conseguentemente cara. Acretido que o preço baixe em um ano para algo na faixa dos R$500. Se o conseguirem insenção de impostos pode cair para R$400 ou menos.
                                                                      Embora o preço seja maior que o kindle, não podemos esquecer que o kindle tem subsidios da amazon. pois ele só aceita livros da amazon e os livros digitais dela são caros. mas ela tem total controle. o alfa não tem esse controle. O mesmo ocorre na industria de games, onde os fabricantes levam prejuizo com o console mas lucram os os jogos.
                                                                      O alfa não tem controle sobre o que vai ser colocado nele, pode-se baixar um pdf de qualquer lugar e ler sem problemas. Isso impede que as livrarias sigam o mesmo modelo de negocios da amazon ou da apple.

                                                                      Não ligo em pagar mais caro por um aparelho livre do que um que me mantenha escravo de uma unica empresa. Não concordo em pagar por um livro digital o mesmo preço da versão de papel. Quem lucra com esse modelo de negocios ? as editoras ? as livrarias ? as graficas ?

                                                                      • […] Positivo Alfa já está à venda na Livraria Cultura, por R$ 699. Em breve receberei um e o resenharei, aguardem. […]

                                                                        • Em 2010.11.06 14:03, Walt Douglas Xavier disse:

                                                                          Minha Esposa comprou um leitor de e-books Positivo Alfa e me deu de presente. Com uma semana ele apresentou defeito: a tela ficou completamente escura e borrada, levei na assistência técnica H2 Informatica aqui em Brasília, a princípio eles nem sabiam o que era o equipamento, dias depois me disseram que a matriz do visor estava quebrada, como isso aconteceu não faço a mínima idéia. Só que o problema começa ai, disseram que por estar quebrado foi mal uso, até ai tudo bem, não sei como aconteceu ou se aconteceu comigo agora não vem ao caso. A positivo informou a técnica que não existe conserto, que teria que trocar o aparelho inteiro, como uma empresa desse porte, querendo popularizar os e-books, me bota no mercado um produto que se tiver problema já era, “perdeu malandro”, o aparelho é simplesmente descartável, repito: não faço a mínima ideia de como isso quebrou, ou se já veio da loja quebrado, eu gostaria que fosse consertado, pagaria pelo serviço já que me acusam de mal uso, mas não, perdi 799 reais. Vou procurar meus direitos na Justiça, a positivo não pode se furtar a consertar meu aparelho. Não esta escrito em lugar nenhum que não existe conserto para o aparelho, a positivo tem que conseta-lo. POR ISSO FICA MEU ALERTA, CUIDADO NÃO COMPREM O POSITIVO ALFA, SE DER PROBLEMA VOCÊS FICARÃO SEM PRODUTO, POIS A POSITIVO NÃO TEM CONSERTO PRO APARELHO!!!!!

                                                                          Desenvolvido por Agência WX