Moto Z e Moto Z Play: lançamento, preços e vídeo de unboxing

wp-image-1232264061jpg.jpg

Estive em São Paulo acompanhando o lançamento oficial dos novos Moto Z e Moto Z Play. O Z não é, exatamente, uma novidade: há um mês estive no escritório da Motorola fazendo um hands-on. A novidade foi mexer no Z Play. A “família Z” possui ainda um terceiro integrante, o Z Force, por enquanto sem data para chegada no Brasil.

O Moto Z é a grande aposta da Lenovo na linha Premium, onde por enquanto, ela é fraca. A chegada foi em alto estilo. No ato da apresentação do produto no exterior, comentei aqui o que achei. Mexendo nele ao vivo e conhecendo em detalhes o conceito dos snaps, mudei para melhor minha percepção. Na verdade, fiquei bem empolgada! Todo esse lance dos módulos foi muito bem-feito, e abrir o projeto para que os desenvolvedores criem seus próprios Snaps foi uma excelente sacada.

O Moto Z é um topo de linha com possui Snapdragon 820 com CPU quad-core de 1.8 GHz com GPU Adeno 530, 4 GB de RAM, tela Super AMOLED de 5,5″ com resolução de 2560 x 1440 pixels e 535 ppi (um arraso!), armazenamento de 64 GB com slot para cartão microSD de até 2 TB, dual SIM (ambos Nano-SIM), câmera traseira de 16 MP com flash CCT e frontal de 5MP com flash LED, resistência à pingos d’água, porta USB-C, NFC e sensor de impressões digitais. Vem com Marshmallow e promessa de upgrade para Nougat. Há duas opções de cores: preto com grafite e branco com dourado.

A Lenovo gosta de repetir que ele é “o smartphone mais fino do mundo”, o que é excelente para marketing, mas na prática significa que algumas coisas foram sacrificadas: a bateria (de ridículos 2.600 mAh) e o conector P2 de fone de ouvido, que passará a funcionar apenas pela porta USB-C onde também é feita a recarga. Sim, não foi a Apple a primeira a tomar a controversa decisão. Comentarei isso num post à parte.

Moto Z Play vem com um hardware inferior. Em compensação, o conector P2 não foi suprimido e a bateria é de empolgantes 3.510 mAh. O processador é Snapdragon 625 com CPU octa-core de até 2GHz com CPU Adeno 506, 3 GB de RAM, tela Super AMOLED com as dimensões de 5,5″ do Z mas inferior em qualidade (1080 x 1920 pixels de resolução e 403 ppi), armazenamento de 32 GB com slot para cartão microSD de até 2 TB, dual SIM (ambos Nano-SIM), resistência à pingos d’água, porta USB-C, NFC e sensor de impressões digitais. Vem com Marshmallow e promessa de upgrade para Nougat. Disponível na cor preto com prata.

A câmera traseira é de 16 MP e flash CCT, e a câmera frontal de 5 MP com flash LED. Parece igual à do Moto Z, mas na verdade, há diferenças sutis nas lentes: a abertura é de f/1,8 no Z e f/2,0 no Z Play. Apenas o Z tem estabilização ótica de imagem, mas ambos tem autofoco a laser.

Todos os Snaps funcionam em ambos os aparelhos e funcionarão em todos os futuros smartphones da “família Z”. Um dos mais empolgantes é o da câmera Hasselblad. A companhia sueca não costuma desapontar, e o furor nas redes sociais foi grande. Mexi um pouco nele e fiquei encantada.

Vamos aos preços…

Kits básicos:

  • Moto Z com um bumper plástico, uma shell decorativa e o módulo de bateria Power Pack Incipio OffGrid de 2.220 mAh: R$ 3.199,00
  • Moto Z Play com um bumper plástico e uma shell decorativa: R$ 2.199,00

Kits Power Edition – Moto Z:

Tudo que vem no kit básico (Moto Z com um bumper plástico, uma shell decorativa e um snap de bateria Power Pack Incipio OffGrid de 2.220 mAh) E MAIS…

  • Snap SoundBoost da JBL: R$ 3.499,00
  • Snap de projetor: R$ 3.999,00
  • Snap de câmera Hasselblad: R$ 3.999,00

Kits Power Edition – Moto Z Play:

Tudo que vem no kit básico (Moto Z Play com um bumper plástico e uma shell decorativa) E MAIS…

  • Snap de bateria Power Pack Incipio OffGrid de 2.220 mAh: R$ 2.399,00
  • Snap SoundBoost da JBL: R$ 2.499,00
  • Snap de projetor: R$ 2.999,00
  • Snap de câmera Hasselblad: R$ 2.999,00

Snaps avulsos:

  • Bateria Power Pack Incipio OffGrid de 2.220 mAh: R$ 399
  • Projetor Moto Insta-Share: R$ 1.499,00
  • Shells decorativas (style shells): R$ 99,00
  • Caixinha de som JBL SoundBoost: R$ 699,00
  • Câmera Hasselblad: R$ 1.499,00 (sim, eu sei que por mais R$ 500 dá para comprar uma DSLR, mas aqui o objetivo é conectividade imediata, né?)

Deu para perceber que compensa bastante investir num kit Power Edition para começar. A diferença de preço para os snaps e aparelhos avulsos é enorme. Perguntei à Lenovo o porque e eles explicaram que querem que as pessoas realmente utilizem o conceito utilitário dos Snaps, e não que eles sejam acessórios de luxo.

Fiz um vídeo de unboxing do Moto Z que recebi para testes. É o kit Power Edition que vem com o projetor. Recebi ainda um Snap avulso, da caixinha de som da JBL. Em breve farei o review completo. Confira…

Salvar/Compartilhar

2 Comments

  • Em 2016.09.19 15:39, Tanabe disse:

    Olá Bia!! Tudo bem?!
    Dei uma olhada por aí e vi que a camera do Moto Z é de 13MP… e em vários sites diz que a tela não é super AMOLED, apenas AMOLED, contradizendo o que foi é dito no site da Motorola Brasil…
    Alguma data para o review completo? 😛
    Beijo, obrigado!!

    • Em 2016.10.10 03:42, Bia Kunze disse:

      Essa semana, Tanabe!

      (Required)
      (Required, will not be published)


      Desenvolvido por Agência WX